segunda-feira, 3 de julho de 2017

POETAR

O poeta é um sofredor

Se derrama ante seu estado
Sofre, chora, desmaia
Mas se não fosse tal dor
De onde viria brotar tanto esplendor?
Em poesias rabiscadas, gritadas, choradas
Que de seu imenso sofrer nascem 
E vêm se adequar a todos nós
Quando passamos por nossos desamores

O poeta é um sonhador
Sonha e poetiza o que não tem
Que não está ao seu alcance
Sorrir, dança, cria...
Fantasias sonhadas, desejadas

Sem saber pra onde ir
Inventa, rir, chora, se alegra
E no meio deste embaço
Tentar criar um mundo só seu
Onde sua paz reina
Onde seu amor prevalece
Onde seu eu se embebeda de sons, cores, amores, dores...

Mas sem estes passamentos,
Quem sabe?
Não teria a tal sonhada inspiração.
Que desejar então?
Que o poeta consiga possuir seu amor
Ou que viva na solidão, a sofrer, se derramar...
E nos encantar com seus devaneios, delírios, quimeras...


2 comentários: